quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Tempos melhores do amor

A paixão nos eleva a um estagio inexplicável
A um sonho acordado
Vulcão congelado
Paradoxo sentimental
Emoção anormal mergulhada em um caleidoscópio de cores ciganas
Persianas abertas na alma
Sinais ilimitáveis de desejo
Solfejo de musica celeste
Sul e leste do riso e do choro
Agouro e canto feliz
Algo me diz que a paixão é nada e é tudo
É o claro é  escuro
É dia e noite
Nos tempos melhores do amor.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário