terça-feira, 30 de setembro de 2014

Palavras de desencantar a noite

Como não tenho palavras de desencantar a noite,
Melhor sentir o roçar das estrelas no olhar,
O perfume da lua diz que seu brilho é mágico,
O silêncio do sol que esta dormindo,
Acabará no som do seu primeiro raio,
Aí vou me entregar nos braços da vida
E numa atitude corajosa e atrevida,
Vou amar de forma intensa e verdadeira os que me rodeiam.

Manu Kelé!

sábado, 27 de setembro de 2014

Livre mente

A suavidade das palavras acalma a paixão?
O coração resiste o dengo e ao toque sincero?
Singelo é o poema que não quer desvendar os mistérios do gostar,
Melhor degustar a imaginação livre mente vento a fora!

Manu Kelé!

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Variações

As variações de palavras
Não trazem a tona um poema perfeito
Melhor ter no peito uma paixão,
Voador sentimento,
Caminhos floridos,
E nos ouvidos
Melhor som de Egberto, Milton ou Tom.

Manu Kelé!

sábado, 20 de setembro de 2014

Lente

A lente que enxerga o verso é mais complexa que as palavras sentidas da boca pra fora!

Manu Kelé!

O carinho

Meu  coração voa leve palavra,
A razão ferve em paixão,
O labirinto se perdeu no caminho,
O carinho tomou conta da loucura,
E agora nesse sonho azul escuro,
Viajo entre nuvens perfumadas por ares
Desconhecidos de mares de um beijo que nunca te dei!

Manu Kelé!

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Poema cansado

O poema tá tão cansado
Que o verbo quase não se movimenta,
Hiberna feito sucuri com boi no bucho,
Muxo muxo de flores descoloridas,
Procura a maciez de todo silêncio,
Pra deixar em sonho profundo,
Uma suposta lenta e vindoura inspiração.

Manu Kelé!

domingo, 14 de setembro de 2014

Como?

O encanto do mar está na imensidão?
O encanto de amar está no coração?
Como minha alma conseguirá tirar da memória a energia dos nossos corpos?
Como não fazer girar da entrega uma poesia perfeita?
Como não navegar em saudade ?
Ancorar na extrema verdade aflorada da incerteza?
Será que conseguirei viver sem você?

Manu Kelé!

Mira o caminho

Mira o caminho
Sente a poesia
As cores do dia vão atravessar tua alma
Se faltar calma
Pronuncie profundo boas palavras,
liberdade amor felicidade.

Manu Kelé!

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Mágica poesia

A noite transpira o som das estrelas,
Nas ruas ladeiras desfila a lua,
Branca mágica poesia,
Macia são as palavras de encantar o sonho,
Tristonho não consigo ficar,
Mesmo com tanta preguiça a inspiração se agita,
E vai criando esse poema propositalmente inacabado.

Manu Kelé!

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Amor inexplicável

Cegas palavras não escutam a voz do tempo,
Vago então por uma inspiração indecifrável,
Inflamável paixão de fazer arder flores,
Nem sempre o corpo tá preparado pra o que a alma do outro tem pra oferecer,
O que pode parecer nada é um infinito de sentimentos,
O que poderá levar as dores da vida?
Será que atrevidamente o amor inexplicável?

Manu Kelé!

domingo, 7 de setembro de 2014

Respirando uma noite

Só respirando uma noite magicamente silenciosa conseguiremos sentir o poema sonoro das estrelas!

Manu Kelé!

Sentimento giratório

Enquanto espero uma palavra meu pensamento vira o mundo,
Fico profundamente mergulhado nos sons da saudade,
Dessas que só acabam quando a energia se converge em encontro,
Aí volto a ficar tonto,
Girando por dentro de mim ,
Procurando o começo sem fim desse sentimento giratório.

Manu Kelé!

De boa

Água da palavra,
Molha inspiração,
Faz meu coração verso,
Te peço respirar o melhor som da vida,
Pois quem duvida do amor nunca será feliz,
Crente que sou quero só de boa,
Ficar atoa,
Só pensando poesia.

Manu Kelé!

sábado, 6 de setembro de 2014

Nem tudo são flores

O tempo estava tão calmo,
Que por um segundo eu o esqueci,
Apaguei da memória as obrigações,
Agradeci em orações pra todos os santos,
Ouvi musica por todos os cantos da minha alma,
Mas como nem tudo são flores,
Lembrei do diabo dinheiro
Acordei por inteiro
Caí na real.

Manu Kelé!

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Suavemente

Recebi um beijo do sol,
Uma alegria colorida tomou conta de mim,
Era então primavera na minha alma
Quando o tempo cheiroso soprou sua voz,
De tão feliz,
Vibrei em pensamento de esperança e paz.

Manu kelé!

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Palavras cheirosas

Degustei palavras coloridas,
Respirei palavras cheirosas,
Vi palavras honrosas,
Senti o poema em mim,
Era tudo assim tão primavera,
Beleza que a gente venera,
Saudade tua transbordando em mim.

Manu Kelé!