sábado, 28 de fevereiro de 2015

Mandacaru

Mandacaru florido
Estrelas coloridas
Sertão molhado

Guardo na alma
Cheiro da farinha
Nas tardinhas canto da nambu
Semana Santa bolo de goma

No sorriso do mandacaru
O chão que era seco florou
Foi Deus que mandou
Abençoada chuva.

Manu Kelé!

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Poetizar o amor

As palavras vazias
Que enchem o pote
Não matam minha sede de inspiração
É bem melhor aguar a loucura
Com as cores do anoitecer
Crescer nas noite estrelas e lua
Soprar teu nome na rua do desejo
E do teu beijo poetizar o amor.

Manu Kelé!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Nuvens

E quando as vezes eu era nuvens me desmanchava em lágrimas de saudade só pra abraçar o mar!

Manu Kelé!

Tempo sem fim

Me dá teu céu
Cores de poesia
Palavras descoladas
Sol doce magia.

Me dá teu chão
Flores giradas
Cheiro de emoção
Asas de pousar o amor.

Me dá teu voo
Sonhos inteiros
Repetidos janeiros
Tempo sem fim.

Manu Kelé!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Acordar o sol

Queria acordar o sol
Sem peso de nenhuma palavra
Flutuar pelo céu da imaginação
Silenciar todo azul
Sentir o gosto de mar
Inundar teu corpo de desejo
Num beijo profundo respirar o amor.

Manu Kelé!

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Tempo das palavras

É tardinha no tempo das palavras
O verbo paira no céu
Bola queimada
Cores lindas
As estrelas sorriem na boca da noite
A lua dança suave
A esperança clareia novo céu
Um gosto de paz
Voa suave no templo da inspiração.

Manu Kelé!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Atemporal

Eu atemporal
Mergulho mar estrelar
Noite a fora
Lua a mil
Vento solar
Sopro de Deus
Perfume vital.

Manu Kelé!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Cabelos caracóis

Os teus cabelos caracóis
Sorriso aberto de mar
Chuvisca meu céu de carinho
É lírio pro meu olhar.

Quando passas a rua floresce
Cresce a minha inspiração
A poesia acontece
Vibrando meu coração.

Manu Kelé!

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Quando

Quando chove cores na poesia
Quando do verso molhado brota flor
Quando voa no verbo arco-íris
Quando um beijo suave afasta a dor
Quando o tempo é de silêncio
Quando o vento sopra teu cheiro
Quando  eu navego teu corpo inteiro
Quando somos mar de amar
Quando a vida é o profundo do teu olhar no meu olhar.

Manu Kelé!