domingo, 29 de dezembro de 2013

Palavras que nunca senti

Mergulho em palavras que nunca senti,
Tentando respirar um poema moderno,
Mas a lua já dormiu,
O brilho das estrelas não alcançam os bytes do meu blog,
Por mais que eu me embriague de inspiração,
Meu  coração bate mesmo é querendo transbordar,
Num antigo e complexo mar de amar.

Manu Kelé!

Céu da poesia

No meu caminho encontrei uma estrela que me falou:

- O céu da poesia tem magia suficiente pra te deixar feliz!

Manu Kelé!

Chão de flores

O chão tá colorido de flores,
O céu sente os sabores,
A poesia dança no mar,
Para encontrar os sentimentos,
Basta respirar o vento,
Sentir o sopro de Deus.

Manu Kelé!

sábado, 28 de dezembro de 2013

Florescer

Florescer estrelas no céu,
Perfumar os sentidos,
Acalmar os ouvidos,
Bob Marley,
Dajvan,
Salif Keita
Jamaica
África,
 Brasil,
Quem já ouviu,
Dançou com a alma,
Interna calma,
Sabores sons mil !

Manu  Kelé!

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Almas gêmeas

Em todo pensamento,
Livres cores sobre o sonho,
Internos desejos soprados ao mar,
Amar ainda é o melhor sentimento,
Não há coisa melhor entre o céu e a terra.
E mesmo acordado esse sentimento me leva,
Gravo na memória da alma,
Um desejo de estar ao teu lado,
Extrema necessidade,
De sermos,
E estarmos no universo,
Sublimes almas gêmeas.

Manu Kelé!

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Olhos da alma

Nos olhos da alma,
A simplicidade de ver o tempo,
Passando como um rio que nos transforma,
Gira o universo,
Num constante verso,
Faz da vida uma ciranda sem fim!

Manu Kelé!

domingo, 22 de dezembro de 2013

Quero poema

Quero poema por favor,
De palavra seca ou molhada,
Dourada ao sol,
Ou marcada de espumas do mar.

Quero poema por favor,
Que revele amor,
Congele violência,
Que tenha paciência,
De uma criança a brincar.

Quero por favor um poema,
Que enlouqueça o verbo,
Que vibre cores,
Toque sabores,
Que te faça feliz.

Manu Kelé!

Janela

Na janela dos teus olhos,
Sabores de ascender,
No espelho da alma,
Reflexo de conhecer.

Na janela dos teus olhos,
Som das cores dia e mar,
Na rua do coração,
Minha vida a te encontrar.

Na janela dos  teus olhos,
O melhor da poesia,
Sol nascente do querer,
Flores da tua magia.

Manu Kelé!


Poética na alma

Era um menino,
Encantador de lua,
Quando era cheia ou nua,
Ele afiava o verso.
Sentimentos laminados,
Lapidavam as palavras,
Crescentes noites,
Salpicadas de estrelas,
Balançavam os sonhos do menino,
E ele sorrindo,
Acordava o dia,
Semeando poética na alma.

Manu Kelé!

sábado, 21 de dezembro de 2013

Gosto de Deus

Palavras  moles molhadas,
Verão coalhada e chuva,
Curva de um poema,
Sem rima.

Molhadas palavras moles,
Acordes sem musica,
Silêncio sem ar,
Dom da preguiça.

Moles molhadas palavras,
Céu de não esquecer,
Quando o amor é verdadeiro,
Tem o gosto de Deus.

Manu Kele´!

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Ainda é cedo

Ainda é cedo amor,
Estamos em arrepio,
Sensação  rodopio
Emoção palavras
Externados ao calor da noite.

Ainda é cedo amor,
Formigas voam anunciando bom tempo,
Gosto de sentir teu perfume no vento,
Projeto sonho,
Festa de te encontrar.

Manu Kelé!

Sublime amor

Qual a poesia da noite?
O som das estrelas?
O calor da lua?
O barulho da rua?
Tua pele na minha pele?
Que o sentido revele,
Um mar de sossego,
Meu sincero apego,
Ao meu sublime amor!

Manu Kelé!

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Suave

Suave palavras,
Vento leve,
Nota breve,
Borboletas coloridas.

Macia canção,
Coração voador,
A cor do amor,
A minha vista.

Suave beijo,
Desejo ardente,
No chão semente,
No verso flor.

Manu Kelé!


quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Gosto de te querer

Minhas palavras fizeram poeira,
Tocadas por um som florido,
Cada verso dolorido,
De cores esvoaçantes.

Mar de som,
Notas molhadas,
Palavras acordadas.
Sol  céu saudade.

Minhas palavras sentidas,
Distância corpo tempo,
Teu nome soprado ao vento,
O gosto de te querer.

Manu Kelé!


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Boa noite

Boa noite,
Com estrelas florais,
Cheiro da lua,
Com o gosto de silêncio.

Boa noite,
Sorriso de nuvem,
Chuva mansinha,
Toque da pele.

Boa noite,
Que revele poesia,
Que transpire a magia,
Caminhos de um bem-querer.

Manu Kelé!

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Flor da manhã

Você perto,
Poesia quente,
Sol  semente,
Flor da manhã.

Gosto de cores,
Giro girassol,
Alegria em sol,
Abraços de minuta.

Você perto,
Toda poesia,
Lua magia,
Musica no ar.

Manu Kelé!


Som dos sentidos

Quando a poesia toca, o som dos sentidos faz silêncio!

Manu Kelé!

Cores de Xangô(Salve Madiba)

Tarde quente,
Flores frias,
Minhas guias,
Cores de Xangô.

Salve Madiba,
Salve a liberdade,
Não é verdade?
Somos iguais?

De humanidade?
De Origem?
Sangue vida?
Mesmo lugar?

Grito forte,
Aberto peito,
Todo respeito,
A toda cor.

Diferença ética,
Dos Deuses a ciência,
Em toda essência,
Somos de África!

Manu Kelé!


segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Poesia na boca

Tenho gosto de poesia na boca,
Frio, quente,
Fugaz repente,
Língua afiada..
Tenho gosto de verso no peito,
Coração maduro
Porto seguro
Mar de amor.

Manu Kelé!

sábado, 7 de dezembro de 2013

Palavras cortantes

Voo entre palavras cortantes,
Meu som dissonante,
Não deixa o tempo vazio,
Sou menino vadio
Entorto os sentidos,
Calo ouvidos,
Para afinar os silêncios.

Manu Kelé!

Turvas lágrimas

Tarde lenta,
Tempo parado,
O passado rasga o céu,
Explodem cores aleatórias,
Nas minhas memórias,
Turvas lágrimas,
"Quando você foi embora fez-se noite em meu viver"!

Manu Kelé!

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Nenhuma palavra

O silêncio as vezes doí no corpo, com o peso de uma estrela suspensa por Deus!

Manu Kelé!

Palavras desconexas

O sopro das cores em meu poema,
As palavras que não colhi,
O pensamento ficando turvo,
A saudade as vezes doí tando,
Que a gente fica perdido no beco da poesia,
E o que seria magia e sentimento,
Vira teia de letras desconexas!

Manu Kelé!

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Será que ela é triste?

Solta estrela,
Grito da noite,
Escura solidão,
Na imensidão da saudade,
Arde ainda a tua voz,
Peito aluarado,
Coração minguante,
Diamante teu olhar,
No ar a doce pergunta,
Será que ela triste?

Manu Kelé!

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Rua vestida

Quero poesia calma,
Cores leves,
Ar perfumado,
Sorriso formado,
Sol, som e mar.

Quero poesia leve,
Borboletas brilhantes,
Profundos amantes,
Desejo sem fim.

Quero leve poesia,
Som da noite,
Voz da lua,
Rua vestida tua beleza!

Manu Kelé!

domingo, 1 de dezembro de 2013

Brincar com a poesia

Brincar com a poesia,
Fazer a palavra dormir,
E quando acordar,
Entontecer o verbo,
Tirando o som das flores,
Fazendo as cores cantar,
Num banho de sol,
Em plena meia noite de um poema.

Manu Kelé!