domingo, 6 de dezembro de 2015

Choro

Choro mesmo
Na medida em que a poesia
Me preenche com a magia desse bem querer
Que é doce e alegre como chuva no sertão
Que faz o meu coração flutuar em palavras incontroláveis
Querendo o tempo todo te dizer a maior verdade que há
Te amo do tamanho do céu da terra do mar.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário