quinta-feira, 30 de abril de 2015

O tom de Deus

Quero respirar palavras azuis
Cor da Terra
Cantar palavras verdes
Cor da serra
Sentir palavras coloridas
Cor do amor
Voar palavras perfumadas
Cor da flor
Criar palavras sem fim
Ao tom de Deus.

Manu Kelé

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Som das estrelas

Ao som das estrelas vou colorindo o céu da minha inspiração tentando gerar uma poesia que torne o outro melhor!
Manu Kelé

terça-feira, 28 de abril de 2015

Meu destino

O frio que faz nas palavras
Doí até na inspiração
Fico a contar estrelas
Tentando amenizar a saudade
Que arde no verbo num ritmo cadenciado
O verso fica acordado
Noites a fio
E no amanhecer das palavras
O sol da esperança
É a certeza
Meu destino vai te encontrar.

Manu Kelé!

segunda-feira, 27 de abril de 2015

sábado, 25 de abril de 2015

Coração da palavra

No fio das palavras
Carneirinhos coloridos
No chão das palavras
Brotam flores azuis
No ar das palavras
Inspira-se o céu
No mar das palavras
Ondas de paz
No coração das palavras
O verbo de Deus.

Manu Kelé!

terça-feira, 21 de abril de 2015

Estrela quentinha

Poesia da noite
É estrela quentinha
Lua fininha
Sorriso do céu.

Poesia do dia
Girassol contente
Água corrente
Inverno no Sertão

Poesia de Deus
Acolhimento repartição
O pão em todas as mesas
Igualdade justiça.

Manu Kelé!

Cores do dia

Quando não sei escrever um poema sinto o cheiro das cores do dia e o verbo transborda de alegria!

Manu Kelé!

domingo, 19 de abril de 2015

Gentileza

Gentileza
E amor
Nossas melhores palavras?
Tudo pode ser mudado?
Imagine a vida diferente
Lembrando que somos iguais
Excluindo preconceitos
Zelando pelo bem
Amando da maneira que você quer ser amado(a).

Manu Kelé!

Raizinha

De uma raizinha cresce e brota uma flor
Qual será o seu cheiro?
De céu ?
De estrela?
De luar?
No ar da poesia pairam pássaros livres
No mar do verbo navega meu desejo
Darei encanto e beijo
A florzinha bela flor
E quando borboleta for
Pousarei minhas cores sobre o seu sorriso.

Manu Kelé!


sábado, 18 de abril de 2015

Pele na pele

Tão distante é o azul
O céu e seu sabores
Tão perto são os amores
Palavras e significados.

Os sons estão guardados
No chão nos sentimentos
Do poema os alimentos
Da alma melhor sentido.

Tão perto é tua cor
Pele na pele magia
A beleza contagia
A poesia encanta a flor.

Manu Kelé!

sexta-feira, 17 de abril de 2015

As estrelas de luz mansa

As estrelas de luz mansa
E a lua a dormir
Cá na Terra, a esperança
De viver perto de ti
Te agradar com sentimentos
Verdadeiros, sedutores
E te dar muitos momentos
De emoções e de amores
Abrandar todo teu medo
Adornar todo teu sonho
Com as estrelas de luz mansa
E a lua a dormir...

Manu Kelé poema musicado por Eduardo Loureiro

Rio inspiração

Chove palavras coloridas no meu verso
Corre rio inspiração
E o coração
Bate ritmo calmo no ar
Festejando maravilhoso verbo amar.

Manu Kelé!

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Sorriso

Sorriso tranquilo
leve pena pavão
Colorida noite
Alegria ao coração.

A luz do teu olhar
Versa paz
Da cor ao verso
Grande bem me faz.

Tranquilo sorriso
Imagem da arte
Por toda parte
Brilho áurea amor.

Manu Kelé!

Nem sei

Nem sei mesmo se é saudade, mas a tua falta doí até mesmo nas palavras que ainda não pensei.
Manu Kelé!

terça-feira, 14 de abril de 2015

O amor de Deus

As estrelas estão geladas
Faz frio na poesia da noite
É preciso aquecer as palavras
Do verbo surge o sopro
Das sete pontas do cruzeiro
O mundo inteiro recebe
O calor do amor de Deus.

Manu Kelé!

Positivas sensações

Quando a simplicidade toca a poesia
O canto do sabiá me diz
Tá na hora de amar.

Quando a poesia toca a simplicidade
As palavras encontram o melhor caminho
Pra nos fazer melhor.

Quando a simplicidade toca a poesia
Nem precisa fazer nada
A emoção fica acordada
Motivando positivas sensações de viver.

Manu Kelé!

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Quem explica a magia do verbo?

Dentro do olhar
Um rio de flores
Dentro do pensar
Um mar de amores.

Quem explica a magia do verbo?
A dialética do verso?
Que faz-se em sons diminutas?

Dentro do poema
Palavras suaves
Dentro do sistema
Injustiças graves.

Dentro dos sóis
Desejos intermináveis
Dentro de nós uma certeza
Os maiores miseráveis são os vazios de amor!

Manu Kelé!

sábado, 11 de abril de 2015

Gemidos

Sinto o cheiro do verbo
Calor textura cor,
Rima com a mor
Adoça a saudade
Faz a idade do verso se perder
Amanhece num sol sustenido
Clareia a musicalidade do céu
De verbo em verbo
A criação do poeta
Vai sobrevivendo
Gemidos risos flor sentimentos.

Manu Kelé!

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Amei

Soprei palavra nevoei 
Vesti palavra voei 
Comi palavra pousei 
Senti palavra amei.

Manu Kelé!

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Ser uma flor


Queria te dar uma estrela
Clarear o céu do desejo
Navegar teu beijo
Me lambuzar do teu amor.

Queria ser uma flor
Te banhar com meu perfume
Te ascender com meu lume
Me transformar no teu luar.

Queria te dar o mar
Cores vivas encantamento
Estar em teu melhor momento
Vida inteira te encontrar

Manu Kelé!

terça-feira, 7 de abril de 2015

domingo, 5 de abril de 2015

O verbo se fez verdade

O vento carrega palavras suaves
O céu colori palavras alegres
O chão afirma palavras fortes
O fogo queima palavras tristes
Tudo que existe ou existiu
Do bem ou do mal
Foi construído pela força das palavras
Acreditemos ou não o verbo se fez verdade e habitou entre nós.

Manu Kelé!