sábado, 30 de agosto de 2014

Cego

Não se esconda atras das persianas da poesia elas são feitas de vento e magia e mesmo cegos com as cores do desejo a gente vai se encontrar.
Manu Kelé !

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Momento

Não adianta tentar parir um verso a qualquer momento, o poema só acontece quando a inspiração da passagem deixando as palavras se transformarem em sentimento!!!
Manu Kelé!

Giro em sóis

As paredes do mundo tentam me fechar,
A poesia me abre em asas,
As cores do mundo me atravessam,
Levito pleno pensamento positivo,
Giro em sóis e desejo
de te fazer feliz.

Manu Kelé!

Melhor cor

Você é uma pessoa de encantar flores,
Dessas que animam o azul,
Das que fazem o sol brilhar,
A sua melhor cor.

Manu Kelé!

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Ar puro

Respirando ar puro,
Sinto o som das flores,
Esqueço os rumores,
Melhoro a vida.

Mergulhando ao mar de amar,
Te sinto sereia,
Me torno lua cheia,
Uni verso a se encontrar.

Manu Kelé!

sábado, 23 de agosto de 2014

Poeira

A poesia é uma poeira que sacode o pensamento deixando tudo mudado as vezes perfumado outras cheirando a sangue e dor!
Manu Kelé

Hymne à l'amour

O gosto de poesia na minha boca,
Da fome de inspiração,
Quero uma canção de Eduardo Loureiro pra me saciar,
Viajar entre as estrelas de Lua Luz Luciana,
Abrir persianas de palavras,
Carinhos para o almoço,
Baião de dois com carne de sol,
Cores em sol sustenido,
Girassóis cheirando a Pátio interno,
Do momento singelo da Luíza cantando,
Hymne à l'amour!

Manu Kelé!

Hoje

Hoje quase não consigo sentir o som das cores do dia,
Frigida magia de um mundo exterior.
Se o meu interior quer poesia,
A sociedade diz que é fantasia,
O tempo vale ouro,
Mas teimoso poeta tento ser,
Luto pra esquecer o tempo monetariamente valioso,
Fazer do tempo apenas algo gostoso,
De liberdade palavras inventadas,
Poesias cultivadas,
Gestos criadores de árvores e frutos de bem querer.

Manu Kelé!

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Maria de fé


Maria de fé,
Quantas Ave Marias rezarei por ti?
Minha simplicidade não alcança o Jesus que tu levava no peito,
Pedindo sempre pra dar um pão ao menino que passava esquecido por todos nós na tua porta,
Mas agora você estará ao lado daquele que nos quer amor,
Nossa dor se acalma diante da verdade,
Quem viveu como você desse lado,
Do outro terá sempre melhor musica,
Flores sorrindo,
E passarinhos cantantes,
E com certeza nos dará força,
Para que a gente siga adiante tentando fazer esse mundo cada vez mais justo.

Manu Kelé!

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Profunda poesia

Profunda é a poesia que a palavra não alcança,
Dança no coração em cores infinitas,
Brilha na alma colorida áurea,
Ascende o fogo da melhor emoção.

Manu Kelé

Amor proibido

Na caverna o segredo,
Sombras sem medo,
Desde os primórdios,
Já ardia o amor proibido,
Chama de sol sem fim,
Gelo de imenso frio,
Rio ao mar de amar,
Proibido é melhor,
Sentidos ficam em cores dissonantes,
Acertos errantes,
prazeres destilados,
No fio cortante da paixão.

Manu Kelé!

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Teu corpo no meu

Faz um segundo que esqueci o poema,
Passou ligeiro na esquina da inspiração,
Voou céu acima do azul,
Tá em algum lugar da memória sonora?
E agora?
Por hora o melhor é sentir o verso concreto,
Do gosto silencioso do teu corpo no meu.

Manu Kelé!

Vago

Quando não estou poesia vago distante do verdadeiro eu!
Manu Kelé

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Louco verbo

Louco é o verbo que não se cala,
O som das cores me faz  brilhar na noite,
Resplandece na imaginação a esperança,
Em algum lugar do tempo ficaremos juntos,
Não terei pressa,
Amanhã vamos respirar o mesmo ar,
Cobertos do mesmo desejo,
Amaremos juntos o destino,
Mereceremos o calor do sol,
Esqueceremos todas as bobagens,
Louvaremos toda verdade,
O amor nasceu pra se cumprir.

Manu Kelé!

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Feitos sol

O vento sopra palavras azuis,
Poeiras de nós voam na imaginação,
O coração do poema bate em tempo indefinido,
Acaso fossemos feitos de sol?
Nasceriam flores em nós?
O fogo da paixão reza pra todos os santos, 
Mantos frios assombram a certeza,
A beleza do amor é revelada,
Quando respiramos as cores de estarmos juntos.

Manu Kelé!

sábado, 9 de agosto de 2014

Poema louco

Procuro palavras suaves pra acalmar meu cansaço,
Desfaço poemas inacabados por pura preguiça,
Se atiçar o fogo no azul?
Qual cor refletirá nos teus olhos?
Nem quero descobrir,
Nesse poema louco quero o ministério das estrelas,
Acreditando que sua substância brilha em nós
Corpo, alma transcendência!

Manu Kelé!

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Quem não adoraria ao sol?

Quem tem medo de poesia,
De  noite ou de dia não sente a vida,
As palavras são coragens,
Feitas retalhos,
Atalhos do caminho da sabedoria,
Quem não adoraria ao sol?
Se não tivesse na alma a certeza de Deus.

Manu Kelé!

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Bobagens

Te digo bobagens em tons de azul,
Enquanto o teu olhar reflete estrelas
Nas teias da imaginação
O coração faz poesia com o gosto de te ver
E tudo parece parar,
No calor infinito da lua,
A rua da inspiração
Ascende a criação
Com a suave presença do teu calor.

Manu Kelé!

Tristeza

A tristeza aporta em mim,
Sem vela
Sem barco
Fico a deriva no mar da imaginação,
Me salva canção de Tom,
Milton Elis ou Egberto,
Faz que o meu céu  seja coberto,
De Luz amor inspiração.

Manu Kelé!

domingo, 3 de agosto de 2014

Vida e dons

Colorir palavras de azul não da céu,
De verde não faz nascer arvores,
Melhor colorir em ações na sua vida,
O milagre dos peixes é a partilha,
Não devemos fazer de nós uma ilha egoísta,
Insista em fazer comunhão,
O pão de jesus é o doar-se
Em vida ou dons.

Manu Kelé!

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Chagas abertas

Chagas abertas coração ferido,
Quando o cupido ascende a paixão,
A emoção altera o tempo,
As cores suaves tocam em sons agudos,
Ficamos mudos diante do mar,
E tudo é cheiro encantador,
O sol a flor,
O amor
Reverbera em todos os tons da alma.

Manu Kelé!