quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Estrada de nós

As vezes o tempo passa tão lento,
Que só consigo sentir a minha pele na tua,
A  ansiedade fica nua,
O coração vibra a imensidão das horas,

Alma na alma,
Corpo no corpo,
Boca mesmo gosto,
Cheiro de amor

Sol do destino,
Nosso caminho,
Estrada de nós.

Manu Kelé!



segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Pingos de azul

Pingos de estrelas no azul,
Rio de luzes no céu,
O corpo da lua dança.
Noite vida esperança.
Vingará novo dia,
E os olhos do sol,
Trarão o calor de Deus,
Que socorrerá todo sofredor,
Da dor do mal,
Da extrema exploração capital!

Manu Kelé!

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Maior poesia

Enquanto o sol dormia,
Eu pensava no olhar das estrelas,
No som que a lua faz toda noite,
Rezar e benzer as águas do mar,
É coisa pra Deus,
Nós simples poetas,
Pensamos em orações,
Agradecimentos,
Por todos os momentos,
Em que respiramos o azul,
E mesmo nu de palavras,
Muitas vezes nos vestimos,
De um sentimento maior que o verso,
Sem mexer um só dedo,
Confesso,
Amar a vida,
É minha maior poesia.

Manu Kelé!

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Luz Luíza

Luz Luíza
Prata  flor
Arco-íris sensação

Luíza luz,
Nosso caminho
Amizade emoção

Não tenho toda riqueza
Nem mesmo toda poesia
Mas te ofereço o sol
Que ilumina todo dia

Luz Luíza,
Poesia,
Áurea clara clarão,
A verdade que te digo
És minha mãe de coração.

Manu Kelé!

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Se trabalho fosse bom jumento tinha casco de ouro

Quando as palavras não voam,
Ficam atoa pelas ruas do verso,
Mas a vagabundagem na dose certa,
As vezes é festa pra qualquer ser humano,
Aliais como dizia a minha mãe:
"Se trabalho fosse bom jumento tinha casco de ouro."

Manu Kelé!

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Pedaços de palavras

Pedaços de palavras espalhadas por um verso,
Quantas vezes te peço acalma meu coração,
Solfeja aquela canção do Egberto:
"Não espere de mim, nada mais que a paixão",
A ciência nunca explicou o amor,
Por favor  entenda o verbo,
O que sinto por você,
Tem gosto de lua,
Em certas ruas do tempo,
Minguante,
Nas avenidas constante crescente.

Manu Kelé!

Sabor de flores

Como não sentir as palavras,
Se elas mexem com a minha imaginação,
As vezes tenho sensação de que sou chão,
As palavras sementes,
Que dormem na mente,
Acordam verbo,
Crescem novo verso,
Com sabor de flores.

Manu Kelé!


Leve, livre e solta

Letras bem escritas cheiram a carinho,
Pensando em você me sinto passarinho,
Canto  alma,
Canto  sol,
Em tonalidade colorida.
O bom da vida,
É nosso sorriso carregado de certeza,
O amor
A beleza,
Tornam a alma
Leve,
Livre,
Solta.

Manu Kelé!

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Atemporal

Existe tempo na poesia?
Quando amanhecia era lua cheia,
Quando anoitecia sol que me alumeia,
O sonho deixou o verbo atemporal
Nada de normal no coração,
O vulcão da paixão,
Explodiu em mim,
Mundo sem tempo,
O cheiro do vento,
Perfumou as palavras!

Manu Kelé!

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Um rio

Um rio de palavras passava dentro de mim, eu me sentia peixe,
Um pedaço de céu me fazia voar, eu me sentia nuvem,
Um sol radiante amarelava o dia, eu me sentia luz,
Um louco poema me dava sentido, eu me tonava a verdade da vida.

Manu Kelé!

Suavidade da noite

A suavidade da noite vem do sorriso das estrelas!

Manu Kelé!

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Som da vida

Era lilás,
Quase todo céu.
Olhos de Deus,
Beleza e cor,
O sol,
Dormiu,
Encantado com a beleza,
A musica da natureza,
Tornou-se alegria,
Doce magia
Som da vida.

Manu Kelé!

Tardinha

Tarde, tardinha,
Lilás céu  mar,
Noite, noitinha,
Prata lua estrela,
Poema quetinho,
Que me tonteia,
Teu amor linda luz.
Que me alumeia!

Manu Kelé!

Nosso sol

Preciso de um poema,
Cor do teu olhar,
Voo do teu sorriso,
Asas da tua beleza,
Preciso com certeza,
De letras macias,
Luar e margia,
Amanhecer nosso sol.

Manu Kelé!

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Colorir

Minha saudade cor dos teus olhos quer colorir o mar que faz tua falta!

Manu Kelé!

Alma rouca

Sinto vontade de rasgar o verbo,
Amassar as palavras,
Deságua os sentimentos,
As injustiças sociais são inabaláveis,
As riquezas dos políticos são comemoráveis,
Por seus amigos e familiares,
Toda manhã fico com gosto amargo na boca,
Minha alma cala quase rouca,
Será sempre assim?
Ricos cada vez mais ricos,
A custa de pobres cade vez mais pobres?

Manu Kelé!

Pétalas

Pétalas de palavras,
Galhos de sentimentos,
Espinhos de tristeza,
Todas as flores,
Jardim da vida,
Sentidos perfumados,
Mar diverso,
Alma inteira.

Manu Kelé!

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Parir

Existem certas noites que doem,
Pesadas estrelas,
Imaginação vagarosa,
A sensação do azul,
Soa forte em meus ouvidos,
Os sentidos ficam caleidoscópico,
Virando e revirando o gosto amargo das palavras,
Que não chegam no tempo certo de gerar um verso,
Como é duro tentar parir uma nova criação.

Manu Kelé!

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Gêmeos

Encontro,
Sonho,
Amor,
Calor
Corpos
Verdade,
Cidade,
Rio
Paixão,
Coração,
Alma,
Flor,
Sol,
Desejo,
Beijo,
Espelho,
Nós.
Gêmeos sentidos,
Corpos de Deus.

Manu Kelé!

Dedos verdes

Minhas palavras cortam ao meio
Um verso inexistente,
Um caranguejo resistente
Insiste em sobreviver no Cocó,
Dá é dó,
Os capitalistas querem uma cidade de pedra,
Quanto mais asfalto, mais dinheiro,
E num janeiro qualquer talvez não haverá mais flores,
As dores do stress vão fazer refletir todo o mundo?
E quando tudo for selva de pedras,
Os filhos dos capitalistas vão desejar ter dedos verdes.

Manu Kelé!

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Nuvens de inspiração

Quando as nuvens de inspiração não se formam,
É seca certa no sertão da poesia.
Tudo se esvazia  palavras ficam ocas,
Flores de sentimentos perdem o perfume,
O céu da emoção esvazia seu lume,
A fome da criação assola o verso.
Mas será que tudo será perdido?
Vou fazer um pedido a um doce cupido,
Pra flexar com a leveza meu coração
Fertilizando a sensação de um novo poema.

Manu Kelé!


sábado, 1 de fevereiro de 2014

Águas do mar

Volta que as estrelas estão tristes,
A lua fica dando palpites,
Querendo a noite mais clara,
Volta alegra o meu verso,
Traz teu sorriso te peço,
Colori as águas do mar,
Volta não tenhas medo do tempo,
Sopra teu nome no vento,
Preciso te respirar

Manu Kelé!

Big ben meu bem

A ciência explica os sentimentos?
O coração controla a razão?
Amar é estar no outro,
Pensamento,
Cheiro,
Energia,
Vida,
Alma,
Uma explosão que acalma,
Amor e paixão,
Big ben meu bem,
Fez nascer,
Céu, azul, amor!

Manu Kelé!

Livre palavra

Livre palavra solta no ar,
Terra, mar universo,
Verso doce,
Finda razão,
A desilusão do poema,
É arrepiar o leitor,
E quando toda dor cessar,
Seremos iguais,
Em humanidade
E com toda verdade,
Diferentes etnicamente falando.

Manu Kelé!