terça-feira, 24 de setembro de 2013

Justiça seja feita

Palavra de vidro quebra fácil?
Palavra de vento voa?
Atoa é a inspiração?
Do coração que pensa nada?
Só pra se libertar da paixão?
O que será feito das palavras de areia?
O que será feito das palavras de mar?
Que gosto terá palavras de céu?
Que cheiro terá palavras de sol?
Afino o pensamento em escalas inexistentes,
Sorridentes invenções me trazem uma realidade,
A verdade do poeta é menor que os dez por cento mentira,
Justiça seja feita a Manoel de Barros!

Manu Kelé!

domingo, 22 de setembro de 2013

Luar crescente palavra

Sede da palavra,
Molhada inspiração,
O coração vislumbrando o azul,
O céu avermelhando o fim do dia.
Luar crescente palavra,
Semente,desejo e flor,
Corpo perfumado,
Som coração amor.

Manu Kelé!

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Sustenido verso

Curto palavras descascadas com sabor de sorvete,
Gosto de palavras molhas de mar,
Acordo palavras amareladas do sol,
Ouço palavras em sustenidos agudos,
Calo palavras em pausas semi breves,
Sinto palavras poemas,
Quando o silêncio me toca,
Com as batidas do meu coração.

Manu Kelé!

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Cores da alma

O sabor de mar das minhas palavras,
O amarelo cajá desse poema,
O azul transpirado as cinco da tarde,
O gosto de sol que arde na boca,
Toda louca poesia precisa desfazer a lógica,
É extasiante mirar um olhar,
Quando sua luz traduz em sentimentos as cores da alma!

Manu Kelé!

sábado, 14 de setembro de 2013

Gosto das cores

Palavras amarelas,
Frescor dos raios solares,
Vento doce de mar,
Tempo esquecido de nós,
A temperatura do poema tem som indefinido,
Pulsa nas entranhas,
o estranho gosto das cores,
Quando se respira a natureza!

Manu Kelé!

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Verbenas

A cor dos teus olhos,
Atravessou meu poema,
Flores verbenas,
Cantaram minha emoção!

Manu Kelé!

Sete palavras

Quero sete palavras, sete cores,
Sete amores, sete paixões,
Corações juntos arco-íris,
Na alma sete flores, sentimentos mil,
Quero sete tempos bordados,
De sete sonhos voados,
Sete asas de poesia leveza e calor.

Manu Kelé!

Coração do céu

chuvisquinho de luz,
Estrelas molhadas,
Emoção.
O coração do céu
Bate ao som das cores,
Quando é noite na poesia,
As palavras dormem,
E só acordam,
Quando iluminadas pelo sol da inspiração.

Manu Kelé!

sábado, 7 de setembro de 2013

Essencial visível aos olhos

Um dos melhores frutos da vida,
É a alegria,
Folhas de sorrisos,
Flores de abraços,
Jardim de bem querer,
Com essencial visível aos olhos,
Com o gosto do amor penetrando na alma.

Manu kelé!

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Poema para Egberto Gismonti

Notas floridas sons da alma,
Musica que acalma,
Dança das cabeças,
Caminhos inusitados,
Arranjos encantados,
Surpresas emoção,
E o coração se renova,
A cada toque,
Instrumentos mil,
Foi Deus que ouviu,
Resolveu dar o presente,
Egberto gosto excelente,
Um dos melhores sons do mundo.

Manu Kelé!

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Pintura viva

Sem palavras,
Sinto o azul do céu em mim,
A boca gelada,
Sorvete de cajá,
E o mar tão perto,
Que as espumas tocam as palavras que falo,
É como a vida fosse o colorido,
Do gosto do sol,
Do cheiro das ondas,
Do sonho acordado,
Mar aberto,
Poema certo pintura viva!

Manu Kelé!

domingo, 1 de setembro de 2013

Bordado amor

Quando as palavras borbulham,
A poesia vira fumaça,
Entendimento fica turvo,
Curvo a esquina do verbo,
Tentando salvar a inspiração,
Quando as palavras pulsam,
Verde é meu caminho,
Azul é teu carinho,
Desenho versos no ar,
As palavras vêm me encontrar,
E bordamos juntos o amor.

Manu Kelé!

Simplesmente

Roçar flores na pele,
Respirar tuas cores,
Sentir teu coração,
Uma só emoção,
Mesmo caminho,
E o carinho do sol,
Alegrando nosso dia,
Primazia da vida,
Inspiração de Deus.

Manu Kelé!