sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Contente de loucura

Semeio palavras ao vento
De um tempo inexistente
Vivo contente de loucura
A cura não quero é nunca

Vago nas madrugadas me sentido estrela
Na beira da lua crescente
Espraio uma vontade latente
Da liberdade de amar

Nos dias me torno sol
Clareio versos de te conquistar
Entorto caminhos pra te encontrar
Mesmo se eu não conseguir
Você vai continuar em mim
Melhor sentido dessa vida e de outras!

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário