domingo, 10 de abril de 2016

Flutuava entre palavras

Flutuava entre palavras
Quase sem ar
Era tanta a emoção
Que seu coração pulsava descompassado
Tudo isso sonhando acordado
Estava enamorado
Olhar profundo
Distante do mundo
Em segundos infinitos sentia na alma
A calma o fogo o vulcão
O medo o desejo o arrepio
A extrema sensação
Da tão paradoxal e metamorfósica paixão.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário