quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Palavras cegas

Palavras cegas
No clarão do sol da poesia
Movidas pelo calor da paixão
O coração finge não sentir
A razão finge não agir
Medir esse vulcão
Não é fácil
Pois é tocado de infinito paradoxo
Contradição dos sentidos
Ouvidos desatentos
Movidos pelo som do desejo.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário