domingo, 14 de fevereiro de 2016

Extremado amor

Vago palavras delirantes
Mas a tristeza não tem vez
Quando é seis da manhã
A inspiração já bate a minha porta
E com toda emoção
Não calo o coração
Dou asas a versos
Por infindas vezes confessos
Do meu extremado amor.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário