quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Extrema beleza

Tudo em branco
Nem santo aguenta
Um poema inexistente
Que inquieta a mente
Viajante é o poeta
Que não deixa parada a imaginação
Faz toda hora voar o coração de amor
E no calor das horas
Liberta o melhor verso
Para delirar confesso
O prazer de viver em arte a extrema beleza de sua musa.

Manu Kelé!


Nenhum comentário:

Postar um comentário