quinta-feira, 24 de março de 2016

Amar sem limites

Um verso geométrico
Quis entortar a minha poesia
Nem era dia nas palavras
Nem era cores no céu
Nem era anel de saturno
Foi um tremendo absurdo
Ele queria mesmo regrar o amor
Limitar a inspiração
Deixar as palavras sem respirar
Tenho que confessar
Fui salvo pela loucura
Essa que dura infinito
Essa linda moça que me faz criar
Essa  que não me dar palpites
E me deixa amar sem limites.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário