quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Poema para Manoel de Barros

Não sou passarinho do verbo
Nem gaiola do verso
Nem tenho vocação pra desprezar as coisas mais simples
Dizer nada as vezes é melhor do que sentir raiva
No dia da gentileza se foi quem dava alma a palavras
Manoel se dizia de Barros
Mas ele era feito do vento suave de todas as cores!

Nenhum comentário:

Postar um comentário