sábado, 1 de novembro de 2014

Descomeço sem fim

Perdido entre palavras que ainda nem pensei,
Caminho pelo beco da vida,
Faz um silêncio de deixar tonta a poesia,
E nessa magia de encantar preguiça
Quero passar noite dia esquecido
De que nasci mortal,
Pois o mais normal é nem ser poeta
Principalmente quando a ceta do verbo aponta para um descomeço sem fim.

Manu Kelé!


Nenhum comentário:

Postar um comentário