segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Janelas

As janelas do vento sopram as cores da palavra
As frechas do tempo abrem a imaginação
O coração desencanta a razão
E quando a poesia acorda
Faz dançar estrelas
Mesmo que a noite esteja repleta de dor
O som do amor
Vai fazer o sol sorrir
Na manhã macia os olhos de Deus se abrirá sobre nós.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário