domingo, 18 de outubro de 2015

Frágil poema

Teu olhar toca minha alma com uma cor tão fortemente indecifrável que desestrutura a continuação desse frágil poema.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário