domingo, 2 de agosto de 2015

Tonto

As vezes fico tonto com o cheiro das palavras
Quando o gosto do verbo me arrepia
Sinto quanta magia tem a poesia
Para a criação não existem paredes
E da minha rede
Posso acessar meus sentidos mais profundos
Num verso que cabe um mundo de amor.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário