sábado, 4 de janeiro de 2014

Cachorro doido

Quando a minha poesia fica mais braba que tosse de cachorro doído, me solto no ar, respiro mar, salinizo a inspiração e tudo volta a ser sol de palavras!

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário