sábado, 28 de maio de 2016

Declarar-se

Declarar-se simultaneamente
É deixar o amor
Atravessar corpo e alma
Admitindo-se
Completamente tomado
Incorporado reciprocamente
De semente arvore e chão
Desse nobre sentimento que não tem fim.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário