quinta-feira, 26 de maio de 2016

Como o mar

Mesmo com enorme fome de poesia
Sei que é indigesto comer letras
Melhor alimentar-me de amor
Do calor do bom sentinento
O melhor do meu pensamento
É esse mistério que me faz te gostar
Tão intenso, imenso como o mar.


Manu kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário