sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Despertar de uma nova poesia

As palavras anoiteceram poema
Brilhava no verso uma lua de extrema beleza
O azul das primeiras horas noturnas coloria o céu
Tudo estava tão calmo que deu pra ouvir o silêncio de Deus
Tranquilo de poesia o verbo dormiu até as seis horas do despertar de uma nova poesia.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário