sábado, 8 de março de 2014

Poética calma

Certa vez pensei em um poema,
Que tinha peso de borboleta,
As palavras flutuavam na mente,
As cores saltavam aos olhos,
O cheiro das asas,
Causavam festa na imaginação,
E o meu coração num tempo sem fim,
Sentiu toda poética calma,
Do sol da inspiração.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário