sábado, 2 de maio de 2015

Noite de maio

A poesia está largada pela rua
Nua de palavras
Deitada nas coxias
Como se tudo tivesse acabado
É preciso desembriagar o verbo
Mudar o rumo da criação
Revigorar os sentidos
Deixar que a saudade
Desague o brilho do teu sorriso nas palavras
Até que a beleza da inspiração brote
Das lindas cores da noite de maio.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário