sábado, 28 de março de 2015

Mar da emoção

As palavras que ecoam
Me deixam quase surdo
O verbo silencia na hora certa,
O tempo torna-se leve pavão a voar
Quando a gente navega poesia
A loucura aflora
Não demora e um poema escorre rio de criação
rumo ao imenso mar da emoção.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário