domingo, 25 de maio de 2014

Céu da paz

No céu da paz,
Um verbo torto, 
Corta a carne da justiça,
Uma bola de ferro e fogo,
Passa dilacerando corpos quase indefesos.
A mágica das promessas políticas,
Será tirar da cartola, 
A revolta dos insatisfeitos, 
Depois de realizados todos os enganos, 
A falsa política entrará pelo cano...
Uma multidão de sem nome, sem terra, sem educação, sem justiça e saúde,
alcançarão todo poder!

Manu Kelé!

Um comentário:

  1. ...é triste nossa realidade...fico preocupada com tudo...Como ficaremos..os dias seguem... e o grande poeta...envolto do seu fazer...nos revela...
    Obrigada caro Manu.

    ResponderExcluir