segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Cores da alma

O sabor de mar das minhas palavras,
O amarelo cajá desse poema,
O azul transpirado as cinco da tarde,
O gosto de sol que arde na boca,
Toda louca poesia precisa desfazer a lógica,
É extasiante mirar um olhar,
Quando sua luz traduz em sentimentos as cores da alma!

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário