quinta-feira, 4 de junho de 2015

Segredos do verbo

Me recolho ao meu ninho de palavras
Ouvindo o vento suave que guia as nuvens
Oh cigano pensamento seminômade
Onde será que vai pousar esse amor?
Como desvendar esse mistério?
Será que é descobrindo os profundos segredos do verbo?

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário