segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Sete

Sete flores
Sete versos
Sete céus
Sete sóis
Flamejante amor
Que arde ao entardecer do desejo
De ser
Infinita poesia
Macias palavras
De dar asas a anjos barrocos!

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário