terça-feira, 1 de outubro de 2013

Coração leve de voar

Todo sol,
Todo dia,
Amarelos céus,
Rosas vermelhas,
Telhas verdes,
Casas descoloridas,
A mentira tem pernas curtas,
A verdade tem varias faces,
Cara ou coroa?
Na moeda do poema o verbo entorta,
E quando a porta pensa,
Abre meio mundo de inspiração,
E torna o coração leve de voar,
Eterno é o desencontro entre o desejo real
E o necessário imaginário e falso de todos os dias,
Desejo morte ao capitalismo selvagem!
Vida e a igualdade para todos os seres humanos!

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário