terça-feira, 23 de abril de 2013

Sol gelado

O sol que cegava as cores,
Não tinha cor,
Era gelado,
Frio de arder a alma.
Ele soprava o vento quente do desejo,
Gerava em todos a vontade de ter o que não era realmente preciso,
O sol pra gerar o seu calor consumia moedas e cédulas de todas as cores,
E mesmo alimentado não conseguia ter cor,
Depois de todo esse pesadelo,
Acordei e mesmo sem querer,
Continuo explorado pelo sol capital,
Que consome as pessoas e o mundo,
Nunca vai ter cor,
Nem mesmo sentimento por ninguem!

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário