sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Ela não é flor que se cheire

Ela não é flor que se cheire
Erva daninha
Leva minha paciência a malandrinha
Mas nada posso fazer
Paradoxalmente eu a amo
Reclamo do silêncio
Incendeio de paixão
E o seu coração continua geleira
Mas isso é besteira
Porque segunda-feria tudo volta ao normal
Eu um vendaval de agrados
E ela nos meus braços relaxando de amor.

Manu Kelé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário