sábado, 1 de outubro de 2016

Medonho verso

As estrelas roçavam as minhas costas com um brilho silencioso
Era gostoso sentir o macio das nuvens
Respirava um azul noturno
Saturno e Marte estavam risonhos
Na arte do sonho
De tão medonho verso
Nesse acordado emaranhdo de palavras
Que nada mais inspira que imaginação lindamente louca
Desse poeta que iventa sentimentos.

Manu Kelé!


Nenhum comentário:

Postar um comentário